Economia Pessoal

Crédito consolidado: como funciona?

18 Julho, 2019

Se tem diversos créditos já contraídos, fazer um crédito consolidado pode ser uma excelente solução para começar a poupar diminuindo os encargos com as despesas mensais no seu orçamento familiar. Mas como funciona? E quais são as vantagens e desvantagens de recorrer a este tipo de crédito?


Crédito consolidado: o que é?

Um crédito consolidado é um produto financeiro, apresentado pelos bancos, que tem como objetivo juntar vários créditos num só. Em traços gerais, se pretender fazer um crédito consolidado, saiba que todos os seus créditos serão abatidos e é criado apenas um crédito com uma mensalidade mais baixa do que a soma de todos os outros. Por exemplo, se antes pagava 1000 euros por mês na totalidade dos créditos, pode passar a pagar 600 euros mensais através de um único crédito consolidado. Assim, este tipo de crédito permite às pessoas que tenham contratos antigos e com taxas de juro elevadas, diminuir significativamente as suas mensalidades com um único crédito com uma taxa mais baixa.

Apesar de o crédito consolidado poder ser fornecido a qualquer pessoa, é mais indicado para os casos dos agregados familiares que têm inúmeros créditos contraídos e não conseguem suportar todas as despesas. Ao permitir o refinanciamento dos clientes com problemas de liquidez ou mesmo problemas bancários, é uma excelente opção para combater o sobre-endividamento. Juntar todos os créditos num só reduz a prestação mensal porque a taxa de juro é inferior e também porque é alargado o prazo de pagamento. Em alguns casos esta redução pode chegar aos 60% ou 70% e é mesmo possível obter um financiamento extra com condições mais competitivas.

Ler Mais

Quais são os tipos de créditos consolidados em Portugal?

Em Portugal existem dois tipos de crédito consolidado: o crédito consolidado com hipoteca de um imóvel e sem hipoteca. O crédito consolidado com hipoteca é o mais solicitado, uma vez que pode juntar todos os créditos inclusivamente o crédito à habitação. Aliás, esta modalidade de crédito permite obter os mesmos prazos de um crédito à habitação, com taxas idênticas, visto que se dá a garantia de um imóvel. O investidor, por norma, contrai uma segunda hipoteca sobre o imóvel, ficando este como garantia do crédito consolidado. A entidade financeira tem direito a ficar com o imóvel em caso de incumprimento do contrato de crédito.

Já num crédito consolidado sem hipoteca não precisa de dar um imóvel como garantia para realizar a consolidação dos créditos. No entanto, é importante salientar que este tipo de crédito é difícil de obter e normalmente os clientes que tenham prestações  em atraso acabam por ver o seu pedido rejeitado. Além disso, o crédito consolidado sem hipoteca não é tão vantajoso como o primeiro, uma vez que ao comportar maiores risco para o banco, os prazos de pagamento são mais curtos e o valor das prestações é superior.

Quais são as vantagens do crédito consolidado?

  1. Redução das suas mensalidades: É possível reduzir os encargos com as prestações mensais em até 60 ou 70% através da redução da taxa de juro média e também pelo aumento do prazo do empréstimo.
  2. Maior controlo de pagamentos: O facto de os pagamentos se encontrarem agregados a uma única prestação leva a que tenha um maior controlo sobre a sua conta bancária e respetivamente sobre as suas finanças, evitando situações de penalizações devido a pagamentos atrasados.
  3. Conforto: Neste tipo de crédito o ideal passa por pagar uma única prestação mensal, numa data fixa, a um único credor e sem precisar de mudar de banco.
  4. Aprovação rápida e simples: Embora o crédito consolidado seja um produto financeiro complexo, o processo de obtenção é muito rápido, ou seja, demora apenas alguns dias ou no máximo algumas semanas.
  5. Segurança: A redução da prestação mensal do crédito permite-lhe ficar com mais dinheiro no final do mês, o que significa que poderá ter um bom pé-de-meia no mês seguinte e assim equilibrar o seu orçamento familiar. Considere juntar este valor que lhe sobra todos os meses e aproveite para amortizar o seu crédito, reduzindo o valor a pagar.

E as desvantagens?

  1. Prazos mais extensos: Apesar do valor das prestações ser menor todos os meses, existe também o reverso da medalha que passa pelo facto de o período do crédito consolidado ser mais longo. Desta forma, com o aumento do prazo da dívida ficará mais tempo dependente financeiramente em relação à instituição credora, podendo chegar a ser uma ligação para o resto da vida.
  2. Juros mais elevados: Quanto maior for o prazo de pagamento que escolher, maior será o valor de juros a pagar, uma vez que a fatia de amortização do empréstimo é menor. Os juros seguem a mesma tendência quando o risco é maior. Por exemplo, se o banco se encontrar perante um cliente com problemas financeiros para pagar o crédito, irá acabar por cobrar-lhe um valor mais elevado de spread.
  3. Comissão de amortização: Se optar por realizar um crédito consolidado, saiba que tem de pagar outros créditos e por vezes estes contêm uma comissão de amortização, ou seja, exigem o pagamento de um determinado valor para pagar os créditos mais rapidamente. E não se esqueça: as comissões de amortização, dependendo do tipo e da quantidade de créditos, podem ser elevadas e não compensar o valor que irá pagar.
  4. Maior tentação para o consumo: Ao reduzir a sua prestação em 60% estará a aumentar o rendimento que tem disponível. Esta redução dá-lhe uma grande liberdade para poder gastar o dinheiro extra. No entanto, o melhor será poupar de forma a conseguir equilibrar o seu orçamento familiar e garantir que a liquidez é utilizada com o objetivo de poupar ou liquidar os seus créditos.

Ler Menos