Cultura e lazer

Três destinos em Portugal para visitar na primavera

23 Maio, 2019

Primavera, bom tempo e temperaturas amenas são sinónimo de novas viagens! E o melhor é que às vezes não é preciso ir muito longe para encontrar destinos maravilhosos. Estes são três locais em Portugal que vai querer visitar nesta estação.


Sintra: o Éden glorioso

Digna de um verdadeiro conto de fadas, a vila de Sintra, no sopé da serra, é sem dúvida uma das mais bonitas de Portugal. Visitá-la é um prazer em qualquer altura do ano, mas na primavera ganha um encanto especial ao vestir-se do incrível colorido da época. Quem chega não fica indiferente às altas chaminés do Palácio da Vila ou às cores garridas do Palácio da Pena que, lá no alto, se destacam por entre o verde do arvoredo. Em Sintra encontra um pouco de tudo: história, beleza natural, praia, serra e, claro, boa pastelaria.

Ler Mais

Habitada desde tempos distantes, Sintra sempre encantou visitantes e residentes. Por ela passaram reis, aristocratas e poetas que foram incapazes de ficar indiferentes à sua beleza e muitos quiseram deixar um pouco de si na paisagem à sua volta. É o caso de António Augusto de Carvalho Monteiro o homem por detrás de um lugar emblemático na vila: a Quinta da Regaleira. Quem caminha pelos socalcos dos seus jardins pode apreciar uma mistura de plantas e árvores oriundas de diferentes cantos do mundo em harmonia com a vegetação autóctone.

E para os mais aventureiros a visita não fica completa sem uma passagem pela muralha dos mouros de onde se tem uma vista privilegiada sobre a vila e a luxuriante floresta que a rodeia. Não pode ainda faltar uma visita ao Palácio e Parque de Monserrate. O Palácio, no seu estilo eclético e inconfundível, mistura harmoniosamente influências góticas, indianas e até alguns elementos mouriscos. O Parque estende-se por 33 hectares onde se pode apreciar, entre outras coisas, o Jardim do México, o Jardim do Japão e o Vale dos Fetos. No final, temos a certeza que fará suas as palavras de Lord Byron: “Sintra, glorioso Éden!”

Alqueva: a primavera no grande lago

Quando foi construída no Rio Guadiana, no início do milénio, a barragem do Alqueva deu origem àquele que é até hoje o maior lago artificial da Europa. A criação desta reserva estratégica de água numa zona várias vezes afetada pela seca acabou por alterar a paisagem envolvente e proporcionar também novas atividades para quem a visita. Há vários desportos aquáticos, pesca, passeios pedestres, BTT, passeios de barco e muito mais para fazer junto ao Alqueva. Mas não se pense que tudo é novo. Parte do encanto destas paragens permanece o mesmo de sempre: os extensos campos alentejanos que na primavera se vestem do colorido das flores selvagens.

O Alqueva não passou despercebido ao The Guardian, que elegeu esta região de Portugal como um dos seis melhores destinos de primavera na Europa Rural. A publicação britânica refere que nesta altura do ano o Alentejo se torna “uma imagem multicolorida: com trevos amarelos, papoilas vermelhas, margaridas brancas e lírios roxos a pintar a paisagem”. E quem vai até ao Alqueva não pode deixar de visitar a pequena e encantadora vila medieval de Monsaraz que se ergue num monte alentejano vigiando a fronteira com Espanha. Entre o rico património a visitar nesta vila de cal e xisto encontram-se a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa, os antigos Paços da Audiência, a Torre de São Gens do Xarez ou, nos arredores, a Ermida de Santa Catarina de Monsaraz.

Madeira: a pérola do Atlântico

Não é segredo para ninguém: a ilha da Madeira é maravilhosa, afinal não é por acaso que já foi várias vezes eleita o melhor destino insular na Europa. De origem vulcânica e com um clima subtropical, é uma escolha certeira para uns dias de descanso na primavera. Comecemos pela vibrante cidade do Funchal onde é obrigatória a passagem pela zona histórica, uma viagem no teleférico do Monte com visita ao Jardim Botânico e uma ida ao Mercado dos Lavradores conhecido por ser um local onde se misturam cores, cheiros e sabores diversos.

Para os mais desportistas há centenas de trilhos para desfrutar das vistas mais arrebatadoras da ilha. Entre os mais incríveis devem incluir-se o trilho que liga o Pico Ruivo ao Pico do Areeiro. São sete quilómetros onde se incluem caminhos estreitos, túneis, declives acentuados, muitas escadas esculpidas na rocha e uma sucessão de paisagens fabulosas do maciço montanhoso central. Já no extremo nordeste da ilha encontra o caminho que leva à Ponta de São Lourenço. São cerca de 8 quilómetros – ida e volta – para passear junto ao mar entre uma paisagem belíssima que inclui a ponta onde terá atracado o barco de Gonçalves Zarco quando descobriu a Madeira.

Mas nem só de trilhos se faz uma visita à ilha da Madeira: está na altura de um mergulho! No Seixal encontra uma praia pouco extensa, mas muito agradável, com a sua areia negra de origem vulcânica, e, a apenas alguns metros de distância, ficam as piscinas naturais da mesma localidade. Quando falamos em mergulhos temos ainda que incluir as incríveis piscinas naturais de Porto Moniz. Encurraladas na rocha vulcânica, parte das piscinas permanecem ao natural, mas, para quem gosta de um pouco mais de conforto, existem hoje cada vez mais estruturas como escadas e passadiços de apoio aos banhistas. Quem vai em maio pode viver em primeira mão uma das festas emblemáticas da Madeira, a Festa da Flor, onde a homenageada não poderia ser outra senão a Primavera.

Ler Menos