Cultura e lazer

Cinco das mais belas bibliotecas de Portugal

3 Abril, 2019

Já imaginou o que acontece quando combina o gosto pela leitura a espaços requintados, repletos de história e de encanto? Na nossa lista reunimos cinco das bibliotecas mais bonitas do país!


Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra

Na Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra estão guardados exemplares únicos e raros que foram produzidos no ocidente entre os séculos XV e XIX. A biblioteca que nasceu no reinado de D. João V, rei que privilegiava a cultura e o saber, é considerada uma das bibliotecas mais bonitas do mundo e já ganhou inúmeros prémios nessa categoria. Por exemplo, o portal norte-americano Book Riot elegeu-a como a mais bela e espetacular do mundo. Esta biblioteca tem uma particularidade: nela habitam 500 morcegos, que estão alojados em gaiolas durante o dia, mas que são soltos à noite de forma a evitar que os insetos danifiquem as obras literárias.

Ler Mais

A verdade é que os morcegos são grandes aliados da preservação dos livros, o que torna esta biblioteca uma das mais ecológicas do mundo, já que estes animais conseguem estabelecer a harmonia perfeita entre o património cultural e natural. Além disso, também o jornal britânico The Telegraph nomeou a biblioteca do Palácio Nacional de Mafra como a mais incrível à escala global, bem como o fotógrafo italiano Massimo Listri que colocou esta biblioteca no seu livro The World’s Most Beautiful Libraires. Para ele, a biblioteca deve ser distinguida não só pela sua beleza, mas também pela riqueza de património que guarda nas suas estantes, sendo considerada um verdadeiro repositório do saber.

É de destacar que a maior sala do convento de Mafra está forrada com mais de 40 mil livros, arrumados e alinhados em estantes de estilo rococó, contendo mais de 35 mil volumes, com capas encadernadas a couro e gravadas em ouro. São objetos verdadeiramente valiosos com páginas repletas de conhecimento e de cultura que não se encontram com frequência. Aliás, D. João V enviou emissários para a Europa de forma a que o palácio tivesse o que de melhor existia no reino e no estrangeiro e, inclusivamente, recebeu a Bula papal em 1754, assinada por Bento XVI, que autorizou a biblioteca do Palácio a ter livros proibidos.

A biblioteca conta com 88 metros de comprimento e está situada no quarto piso da ala nascente do monumento em forma de cruz. Esta sala detém livros de diversos assuntos: medicina, filosofia, literatura, direito, gramáticas, dicionários, enciclopédias de costumes e livros de viagens. Poderá ainda encontrar na ala mais a sul temas religiosos e a norte os profanos das ciências puras. Lembre-se que existem exemplares que devem ser folheados com especial cuidado, como é o caso da primeira edição do Alcorão de 1543, da bíblia poliglota de 1514 ou até da primeira edição de “Os Lusíadas”.

Mário Pereira, diretor do Palácio Nacional de Mafra, sublinha que é “a conjugação da estética com a qualidade do acervo que torna esta biblioteca verdadeiramente especial. É, sem sombra de dúvida, uma das mais importantes do mundo no que toca a obras impressas entre o século XV e a primeira metade do século XVIII”, por isso se pretende visitar uma das bibliotecas mais bonitas do mundo, saiba que o pode fazer gratuitamente durante os dias úteis entre as 9h e as 13h30 ou das 14h às 16h, sendo que deve marcar previamente.

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra

 A Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra, localizada no Palácio das Escolas da Universidade de Coimbra, no pátio da Faculdade de Direito, é considerada um dos monumentos mais belos do estilo barroco em Portugal. Esta biblioteca substituiu a antiga Casa da Livraria Universitária e foi construída a mando de D. João V em 1717 em homenagem ao seu trono e à riqueza do Império. A biblioteca Joanina, além de ser uma esplendorosa combinação de materiais exóticos, é também um verdadeiro cofre forte de livros de extrema raridade, como a primeira edição de “Os Lusíadas”, uma Bíblia Hebraica, editada na segunda metade do século XV, da qual apenas existem cerca de 20 exemplares a nível mundial.

Embora a biblioteca esteja sediada na universidade, tem o ambiente de uma biblioteca palaciana  com tetos pintados, estantes de madeira escura decoradas em dourado, o chão de pedra com padrão geométrico e arcos sumptuosos que dividem as três salas onde estão guardados 250 mil volumes de diversas temáticas, sendo um espaço de requinte onde é conduzido para o retrato de D. João V. O interior tem estantes forradas a folha de ouro e decoradas com motivos chineses, que estabelecem uma ligação cromática com os fundos pintados a verde, vermelho e negro, não esquecendo os tetos decorados com alegorias que são dedicados ao triunfo da universidade.

É importante salientar que os livros se mantêm em boas condições devido às caraterísticas do edifício: as paredes exteriores têm 2,11 metros de espessura, a porta é de madeira teca e o interior é revestido de maneira a absorver a humidade excessiva, por isso não é de admirar que este espaço seja considerado uma “caixa” favorável à conservação do livro. Se passar por Coimbra não deixe de visitar esta biblioteca, sendo que abre a cada 20 minutos e é permitida a entrada de 60 pessoas de cada vez. Mediante o programa de visita que escolher, o preço dos bilhetes pode variar entre 2€ e 12€.

Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa

Caso esteja a pensar visitar Óbidos, aproveite para conhecer a Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa, situada no Palácio dos Condes de Óbidos.  Apesar de muitas vezes ser desconhecida do público, é uma das mais belas do país e faz as delícias de qualquer amante da leitura. Este espaço que foi inspirado no Salão Nobre da Academia de Ciências de Lisboa apresenta um teto apainelado com pinturas ornamentais alegóricas às sete Artes Liberais e um painel central que retrata a Paz de Alvalade, no qual são representadas figuras como a Rainha Santa Isabel, o Rei D. Dinis e o seu filho D. Afonso.

O acervo documental desta biblioteca é composto por aproximadamente 16 mil títulos, entre os quais poderá encontrar monografias, publicações periódicas nacionais e estrangeiras de diferentes domínios, com especial foco em assuntos humanitários, como por exemplo sobre o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. E não se esqueça: se tem intenção de ir à biblioteca, aproveite também para visitar o palácio com vista sobre o Tejo, entre as 9h e as 16h durante os dias úteis, o horário de funcionamento da biblioteca.

Biblioteca da Academia de Ciências de Lisboa

A Academia das Ciências de Lisboa é uma das principais bibliotecas do país e resulta da reunião do seu próprio espólio ao da ‘Livraria’ do Convento de Jesus, sendo que após a extinção das Ordens Religiosas, esta foi entregue pelo Estado à Academia, juntamente com o edifício do convento. A biblioteca contém diversas obras não só de caráter científico, mas também de filosofia, teologia, literatura e arte que incluem incunábulos, manuscritos, periódicos e uma valiosa coleção dos séculos XIV, XV, XVI e XVII. Ao longo da sua experiência nesta biblioteca, garantimos que irá ficar deslumbrado com as pinturas do teto, com as estantes em talha dourada nas paredes, e, claro, com o Salão Nobre que não pode deixar de visitar de segunda a quarta-feira entre as 9h e as 17h.

Biblioteca Municipal de Viana do Castelo

Se gosta de apreciar edifícios pela sua arquitetura, então vai querer visitar este lugar! A biblioteca municipal de Viana do Castelo foi inaugurada em 2008 e desde então tem cativado pelo seu desenho, materiais ou até pelo uso da iluminação natural, e muito se deve ao facto de ter sido Siza Vieira o responsável pela sua arquitetura. Mas não é tudo! As janelas a rasgar na horizontal e o betão branco mostram a vista espetacular sobre o rio Lima, sendo esse o motivo pelo qual os visitantes consideram as zonas de leitura bastante atrativas.

O diretor da biblioteca, Rui Viana, conta que recebem inúmeros pedidos de visitas guiadas e acrescenta que têm em média “uma ocupação diária de 300 utilizadores”, abrangendo públicos distintos, desde deficientes visuais que recorrem ao serviço de leitura especial da biblioteca a crianças que vão ao sábado para as sessões de leituras dramatizadas. Se ficou curioso para visitar este lugar, saiba que pode fazê-lo nos dias úteis entre as 9h e as 19h e aos sábados das 10h às 19h.

Ler Menos