Economia Pessoal

Vai alugar um carro? Leia este guia antes!

24 Outubro, 2018

Vai viajar em negócios ou lazer e precisa de um meio de transporte para se deslocar no destino? Alugar um carro pode ser uma alternativa prática, cómoda e até bastante em conta.


1. Alugue um carro online!

Basta pesquisar por “alugar carro” no Google para que chovam resultados atrás de resultados. Se olhar atentamente, vai perceber que entre eles encontram-se as empresas rent-a-car em nome próprio ou uma série de sites agregadores que comparam os preços de várias empresas por si. É escolher a opção mais vantajosa para si quer em termos de preço, quer em termos de condições.

2. Sites das rent-a-car ou agregadores? Simule sempre

Se para si o preço é determinante na escolha do carro a alugar, faça várias simulações nos agregadores e nos sites das empresas rent-a-car. Nem sempre o valor e as condições apresentadas pelos agregadores de preços são as mais vantajosas: por vezes as rent-a-car têm campanhas a decorrer ou oferecem condições de franquia e opções de seguros mais interessantes. E como cada caso é um caso, só sai a ganhar se se dedicar um pouco mais a comprar preços nas várias plataformas!

3. Alugar com antecedência compensa sempre?

Ler Mais

A verdade é que por um lado pode poupar uns euros se alugar um carro com antecedência, mas por outro não nos podemos esquecer que existem as chamadas oportunidades de última hora com preços bastantes atrativos. Se for uma pessoa que prefere jogar com o planeamento em vez da sorte, opte por alugar um carro com antecedência porque dessa forma tem sempre a garantia que consegue um preço mais simpático pelo serviço.

4. Atenção às taxas e extras

Durante o processo de alugar um carro é importante que leia bem todas as condições para não acabar a pagar taxas e extras que não queria. Por exemplo, se a empresa de rent-a-car estabeleceu a regra de “depósito cheio por depósito cheio” (é a política de reabastecimento mais comum) saiba que tem de entregar o depósito de combustível tal como o encontrou, isto é, totalmente abastecido ou ser-lhe-ão aplicadas taxas de reabastecimento.

Além disso, fique atento a possíveis taxas extra relacionadas com o levantamento do carro no aeroporto e a idade do condutor! E sujou bastante o automóvel durante a viagem (com lama, por exemplo)? É importante que devolva o automóvel tal como o encontrou, senão pode ser acusado de ter feito uso indevido da viatura e como consequência terá de pagar um extra. E lembre-se: o GPS é um extra que pode não fazer sentido pagar nos dias que correm porque toda a gente tem um smartphone à mão!

5. Vai precisar de cadeirinha de bebé?

Se vai viajar com crianças que precisam de cadeirinha de bebé – ou assentos elevatórios – saiba que este é um extra disponibilizado pelas empresas de rent-a-car. No entanto, não se esqueça que o custo adicional será somado ao valor base do aluguer do carro.

6. É importante ter quilómetros ilimitados?

Há empresas de rent-a-car que oferecem quilómetros ilimitados e outras que não. Caso a sua não ofereça e ultrapasse o número de quilómetros estabelecidos por dia, saiba que vai pagar mais pelo aluguer do carro. Assim, se vai fazer uma viagem grande, previna-se e opte por uma rent-a-car que ofereça a quilometragem.

7. Documentação obrigatória para alugar um carro

Regra geral, para alugar um carro só é preciso que o condutor apresente uma carta de condução. Se alugar um carro fora de Portugal, precisa de ter em conta que é preciso verificar antes se a sua carta de condução é válida no país em questão.

8. Infringiu o código da estrada?

Se durante o tempo que o carro alugado esteve na sua posse cometeu algum tipo de infração (exceder o limite de velocidade, por exemplo) saiba que será você a responsabilizar-se pela coima associada e não a empresa rent-a-car. Dito isto, não se esqueça também de pagar os parquímetros e as portagens para que não saia lesado.

9. O que deve constar no contrato

No contrato, que pode ser preenchido online ou na própria rent-a-car, deve constar, diz a DECO, a identificação da empresa, do cliente, veículo, preço, bem como os serviços incluídos e o valor da caução – esta pode variar de acordo com método de pagamento, veículo, carta de condução e franquia do seguro contratado. Serão necessárias duas versões assinadas, sendo que o original fica com a empresa de rent-a-car e a cópia com o condutor.

10. Contratar mais proteção: sim ou não?

O carro alugado está, como qualquer outro, coberto por um seguro de responsabilidade civil – o conhecido seguro contra terceiros – cujo prémio está incluído no preço do aluguer. No entanto pode munir-se de uma proteção extra ao contratar um seguro que cubra também danos provocados pelo condutor, situações de roubo, vandalismo e fenómenos da natureza, etc. em troca de mais uns euros. Não se precipite e pense se vale mesmo a pena contratar coberturas extra, tendo em conta a viagem que vai fazer.

11. Faça a sua própria inspeção ao carro da rent-a-car!

A DECO aconselha que no momento em que receber o veículo na rent-a-car faça a sua própria inspeção ao lado do funcionário da empresa: devem verificar juntos todos os pormenores, fotografar qualquer mossa ou risco que possam existir e garantir que fica tudo registado para que não haja surpresas na fatura aquando do momento de devolução da viatura.

 12. Informe-se sobre a política de cancelamento

Há empresas de rent-a-car que disponibilizam um cancelamento gratuito, sem quaisquer custos, enquanto outras facilitam o cancelamento dentro de um limite temporal e outras que não fazem o reembolso de todo. Como os imprevistos fazem parte do dia-a-dia talvez seja boa ideia optar por uma empresa que ofereça a possibilidade de cancelamento gratuito.

Ler Menos