Saúde

Sabe os cuidados que deve ter nos dias mais quentes?

10 Setembro, 2018

Num ano em que Portugal bateu o recorde de temperatura dos últimos 18 anos e foram registados novos máximos históricos em vários pontos do país, ter cuidado com o calor é a palavra de ordem. A pensar nisso, preparámos algumas recomendações para os dias quentes.


Quem deve ter um especial cuidado com o calor?

Antes de passarmos às recomendações a seguir em dias de muito calor, é importante que conheça os grupos de risco identificados pela Direção-Geral de Saúde: crianças nos primeiros anos de vida, pessoas idosas, portadores de doenças crónicas, obesos, acamados, pessoas com problemas de saúde mental, as que tomam determinados medicamentos, trabalhadores expostos ao sol e/ou ao calor e pessoas em más condições de habitação são mais vulneráveis aos dias mais quentes. Se fizer parte de algum desses grupos ou conviver com quem faz, esteja atento!

O que (não) deve comer e beber!

Ler Mais

Durante os períodos de maior calor, é fundamental aumentar a ingestão de água ou de sumos de fruta naturais sem adição de açúcar, independentemente de ter sede ou não. Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes podem não sentir ou manifestar sede, por isso esteja atento aos sinais e ofereça-lhes água! A desidratação provoca irritação e má-disposição e, se costuma conduzir, pode ser especialmente perigosa, uma vez que diminui a sua capacidade de atenção e reação. Desta forma, não se esqueça de ter uma garrafa de água sempre consigo. Além disso, as bebidas alcoólicas e as com elevados teores de açúcar são de evitar.

Consoante a alimentação, se normalmente a regra geral é o equilíbrio, nos dias quentes ainda mais. Procure fazer refeições leves e, se for preciso, mais frequentes. Na hora de escolher, dê prioridade a alimentos que não se alteram com o calor, como o pão, frutos oleaginosos, a fruta lavada e até a fruta seca. É aconselhável deixar de lado os que são facilmente alteráveis como molhos, produtos de pastelaria com creme e à base de leite e ovos, marisco e outros que possam vir a apresentar risco microbiológico. Se estiver num estabelecimento comercial, observe as condições de higiene e se os produtos estão bem conservados em câmaras ou montras frigoríficas, quando necessário.

Refresque-se: o que vestir e onde ir?

Ao abrir o guarda-roupa de manhã, lembre-se que um vestuário largo, leve e fresco – de preferência de algodão e que não o faça suar em excesso! – será a melhor tendência da temporada! Escolha roupas que não exponham demasiado o corpo ao sol. E quanto às cores? Se escolher peças claras, prefira tecidos que tenham densidade elevada ou sejam opacos; no caso das cores escuras, a densidade pode ser menor.

Para além de se vestir adequadamente, procure permanecer 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco, sobretudo nos horários de temperatura mais elevada – pode ser a sua casa ou mesmo o escritório. O fim de semana pode ser um bom momento para substituir a ida à praia por visitas a museus, cinemas, bibliotecas, centros comerciais e outros ambientes climatizados.

Se vai utilizar o carro para se deslocar, organize-se para que o calor extremo não prejudique o passeio ou a sua rotina nestes dias. Tenha sempre água suficiente consigo para si e para os seus acompanhantes, e se o seu carro não possuir ar condicionado não feche completamente as janelas. Muito importante: evite permanecer ou deixar crianças e idosos em viaturas expostas ao sol, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. E para as viagens mais longas, sempre que possível, prefira fazê-las à noite.

Como manter a casa fresca nos dias de maior calor?

Há alguns cuidados que podem ajudá-lo a sentir-se mais confortável dentro de casa. Evite que o calor entre na habitação e feche as persianas ou portadas para manter o ar a circular. Também é aconselhável não utilizar o forno. Ao entardecer, caso verifique que a temperatura no exterior é inferior à que está dentro de casa, abra as janelas para entrar alguma corrente de ar.

Nos períodos muito quentes, tome um banho de água fria, mas esteja atento às mudanças bruscas de temperatura. Se tiver apanhado muito calor, espere que o corpo arrefeça antes de um duche gelado, para não correr riscos de hipotermia. E para uma boa noite de sono, diminua a quantidade de roupa de cama.

Se possui equipamentos de climatização (ar condicionado, splits, humidificadores, unidades de tratamento do ar, etc.), não se esqueça de limpá-los e desinfetá-los pelo menos duas vezes por ano, bem como de verificar regularmente a limpeza dos filtros e possíveis fenómenos de corrosão e/ou incrustação. E esteja atento à água utilizada nos processos, para que circule e esteja constantemente fresca, para evitar doenças como a legionella.

Cuidados com as atividades físicas e a exposição ao sol

Sabemos que o exercício físico é muito benéfico para a saúde, mas em dias de calor extremo atividades que exijam esforço físico intenso devem ser evitadas, tais como praticar desporto durante os períodos em que as temperaturas estiverem mais elevadas. Se é adepto das práticas ao ar livre, o cuidado é redobrado: a exposição ao sol pode conduzir a problemas agudos, crónicos e graves para a saúde, nomeadamente ao nível da pele, olhos e sistema imunitário.

Como regra geral, evite a exposição direta à radiação ultravioleta do sol, principalmente entre as 11h e as 17h. Se não houver hipótese, e/ou em qualquer outro horário em que estiver em ambiente exterior, utilize protetor solar [link protetor solar] com um índice elevado (e não esqueça de renovar a aplicação de 2 em 2 horas), chapéus de abas largas e óculos de sol com proteção UVA e UVB.

Atenção máxima aos sinais do corpo!

O nosso corpo normalmente esforça-se por manter uma temperatura corporal constante de 37 graus. Quando as temperaturas estão mais altas, o organismo pode ter maiores dificuldades e ocasionar doenças relacionadas com o calor. Por isso, mesmo que tenha todos os cuidados possíveis, esteja atento a alguns sintomas: cãibras musculares, cansaço, fraqueza, desmaios, náuseas e vómitos, respiração rápida e superficial, grande transpiração, palidez, pele fria e húmida, pulso fraco e rápido e dor de cabeça. Não hesite em pedir ajuda a um familiar, amigo ou outras pessoas à sua volta no caso de se sentir mal ou identificar qualquer um desses sintomas.

Uma última dica: pode sempre acompanhar o clima, as temperaturas e as radiações UV no site oficial do Instituto Português do Mar e da Atmosfera em www.ipma.pt.

Ler Menos