Cultura e lazer

Cinco filmes para (vi)ver o verão com outros olhos!

27 Julho, 2018

Quais os ingredientes que não podem faltar num filme de verão? Nós diríamos amor, gargalhadas, nostalgia, viagens e aventura… tudo o que pode encontrar nos filmes que selecionámos para si!


Before Sunrise lembra os amores de verão

O verão é a época por excelência dos grandes amores. Prova disso é o filme Before Sunrise, ou em português, Antes do Amanhecer. Tudo começa com uma viagem de comboio na Europa onde o amor à primeira vista ganha um verdadeiro significado quando o caminho do turista americano Jesse se cruza com o da estudante francesa Céline. O par decide descer da carruagem em Viena e no mesmo dia vão conhecer-se, apaixonar-se e separar-se… mal chegue o amanhecer!

Observar a forma como dois estranhos se relacionam de uma forma tão íntima e como o amor pode surgir de maneira tão inesperada, quando as pessoas estão abertas a essa possibilidade, torna o filme mágico. E acredite, o argumento do realizador Richard Linklater aliado à interpretação de Ethan Hawke e Julie Delpy vão fazer com que fique agarrado ao sofá durante os 100 minutos e aguçar-lhe a vontade para ver os filmes que se seguiram: Before Sunset e Before Midnight.

Cinema Paraíso é uma ode ao amor pela sétima arte

Ler Mais

Se o verão lembra o amor, a sua língua é sem dúvida o italiano. E embora Cinema Paraíso, de Giuseppe Tornatore, não gire em torno de um amor entre dois personagens, é uma ode ao amor pela sétima arte. Sim, conta a história do reconhecido cineasta Salvatore Di Vitta (Jacques Perrin) que ao receber um telefonema inesperado da sua mãe é levado de volta aos seus tempos de criança, na sua Sicília natal, quando vivia fascinado pela cabine mágica de Alfredo (Philippe Noiret), o mal-humorado projecionista do cinema da vila, o Cinema Paraíso. Uma história que arrecadou um Óscar e um Globo de Ouro na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Os flashbacks vão ajudá-lo a recuar no tempo e, de uma forma direta e sem grandes efeitos especiais, conduzi-lo pelas alterações que o mundo do cinema sofreu, ao nível da produção, edição e até de visionamento. Mas não só. À medida que a ação se desenrola poderá vivenciar a paixão pela indústria cinematográfica, sentimentos de nostalgia face ao período de infância, dos tempos que não voltam e da falta que alguém importante nos faz. Assim, o Cinema Paraíso promete arrancar-lhe gargalhadas, deixá-lo em lágrimas e encantá-lo com uma magnífica produção como já há poucas.

Verão, infância e uma aventura em Stand By Me

É verão, está um calor insuportável e quatro crianças de 12 anos, vizinhas uma das outras, estão de férias na pequena cidade de Oregon. Para se refrescarem aproveitam a sombra perto de uma bomba de água num ferro-velho, enquanto tomam uma bebida. Assim que o calor se torna mais suportável, passam o tempo a tentar acertar com pequenas pedras numa lata que está a poucos metros de distância – como qualquer outro miúdo da sua idade faria! E até aqui tudo bem, não fosse o filme baseado num livro de Stephen King, The Body.

É que ao longo de cerca de 1 hora e meia irá ver o grupo heterogéneo de rapazes partir numa missão: a de encontrarem o corpo de um rapaz que está desaparecido. Como pano de fundo, tem uma história sobre a amizade, que invoca a nostalgia da infância, a dificuldade da passagem para a vida adulta e da descoberta de um mundo onde nem tudo são rosas. No elenco poderá encontrar um Wil Wheaton e um Jerry O’Connel bem jovens!

Quanto Mais Quente Melhor: “a melhor comédia de sempre” para ver já este verão!

Quanto Mais Quente Melhor é uma daquelas comédias levezinhas que apetece ver depois de um dia de praia combinado com um almoço fora de horas. Mas do que se trata afinal? Ora, durante 120 minutos poderá assistir à história de dois músicos de jazz que se têm de disfarçar de mulheres e integrar um grupo musical feminino para iludirem os gangsters que os perseguem. E tudo isto porque estavam no local errado, à hora errada!

A magia do filme acontece muito graças às interpretações memoráveis de Jack Lemmon e Tony Curtis que deambulam pela sensualidade e contrastam claramente com a inocente feminilidade da eterna Marilyn Monroe. E também graças à mestria do realizador Billy Wilder, que o promete fascinar com uma produção cinematográfica rica em equívocos, inversões e surpresas que têm lugar em 1929, na cidade de Chicago. Vai mesmo perder a “melhor comédia de sempre”, segundo a BBC Culture?

O Exótico Hotel Marigold promete uma viagem à Índia… só de ida!

Se lhe vendessem a ideia de passar a reforma num idílico hotel na Índia, aceitaria? Bom, foi o que fizeram os sete ingleses do filme O Exótico Hotel Marigold, aliciados pelo exotismo e a ideia de conseguir uma vida luxuosa a um preço acessível. Ou pensavam eles, pelo menos. É que ao chegarem ao destino deparam-se com um hotel que perdeu o esplendor de outrora. Mas vai haver um twist. Sim, ao contrário do que é esperado é lá que (re)descobrirão a alegria de viver… e mais não dizemos! Precisa de mais motivos para ver? Então saiba que esta comédia dramática conta com um elenco de luxo, reunindo nomes como Judi Dench, Bill Nighy e Maggie Smith.

Ler Menos