Economia Pessoal

É vantajoso contratar um arquiteto?

6 Julho, 2018

Se está a fazer obras, contratar um arquiteto pode ser uma excelente forma de valorizar a sua casa. Saiba como!


Um arquiteto pode ser uma mais-valia

Quer queira construir casa, remodelar um imóvel, uma divisão ou expandir o seu escritório, saiba que um arquiteto é a pessoa habilitada para o ajudar. Tem conhecimento para fazer a avaliação das condições de investimento, elaborar estudos e projetos sobre edificações e coordená-los, ficando encarregue por lhe apresentar uma série de soluções adequadas às suas necessidades. Mas será mesmo vantajoso contratar um arquiteto? E como deve fazê-lo? Nós explicamos tudo ponto por ponto!

1. Poupar e rentabilizar casa: os pontos fortes de um arquiteto

Ler Mais

Mesmo que a obra não precise de ser licenciada, ao incluir um arquiteto no projeto de construção/remodelação de uma casa pode rentabilizar e otimizar o seu investimento. Uma casa bem concebida e energeticamente eficiente significa uma poupança nos custos de produção e manutenção. Sobretudo se pensarmos em termos da distribuição inteligente do imóvel, no design, nos materiais utilizados, no conforto acústico e até na sua orientação, que vai influenciar a necessidade de ter ou não soluções de aquecimento.

E mesmo na hora de vender, sai a ganhar. Sim, é uma mais-valia o facto de a casa ter sido desenhada por um arquiteto competente. Porquê? Acrescenta a garantia de que se pensou no conforto e bem-estar da pessoa que vai lá viver. A localização do imóvel é um fator crucial no que toca à valorização patrimonial mas o conceito arquitetónico do imóvel também conta de forma significativa.

2. O arquiteto vai ser o seu braço direito

Faz parte dos deveres de um arquiteto garantir que a intervenção a realizar numa casa está de acordo com a legislação. Como tal, tem de apresentar um termo de responsabilidade no qual assume todas as responsabilidades legais e regulamentares aplicáveis, que vão desde as normas técnicas gerais e específicas da construção, aos instrumentos de gestão territorial, ao alvará de loteamento e à informação prévia. Além disso, o autor do projeto também pode orientar e supervisionar o processo de construção.

Sim, o arquiteto pode assumir as funções de diretor de obra e de diretor de fiscalização de obra. Como diretor de obra ficará responsável pela direção da execução dos trabalhos e por assegurar a correta realização das obras de acordo com a lei. Já do lado da fiscalização, deve ocupar-se da verificação da execução da obra em conformidade com o projeto em execução. Como estas funções são extra deverão estar sujeitas a outra contratualização e a outros honorários.

3. Mas sai muito caro contratar um arquiteto?

Não existe uma tabela para a fixação dos honorários de um arquiteto. Assim, os valores cobrados representam uma percentagem sobre a estimativa do custo da obra ou baseiam-se num valor por hora. No entanto, saiba que antes de tomar uma decisão pode pedir uma proposta de projeto, sem esquecer que esse trabalho tem custos associados!

Mas vamos à questão crucial: fica muito caro contratar um arquiteto? Mais do que a simples contratação de um serviço, procure encará-lo como um investimento: um arquiteto vai ajudá-lo a tomar boas decisões para otimizar o investimento disponível na ótica da melhor relação qualidade/preço. O objetivo é garantir que o resultado final lhe agrade, evitando assim alterações que lhe podem sair caras e atrasar todo o processo.

4. É preciso fazer um contrato?

Qualquer prestação de serviços realizada por um arquiteto deve ser celebrada por escrito: ter contrato é a única forma de garantir que são cumpridos os direitos e deveres de ambas as partes. Para além do contrato, é possível exigir ao arquiteto um Seguro de Responsabilidade Civil, de forma a assegurar que é reembolsado por danos causados por atos ou omissões do profissional.

No contrato também deve estar bem definida qual a remuneração e forma de pagamento ao arquiteto e se pretende que preste assistência técnica à obra. Estamos a falar da possibilidade de o arquiteto ficar responsável por verificar se o seu projeto está a ser respeitado, por esclarecer dúvidas sobre a leitura dos desenhos e ajudar na verificação da qualidade dos materiais e da execução dos trabalhos.

5. Deve consultar mais que um arquiteto

Se estiver decidido a contratar um arquiteto porque verificou que o ajudará realmente a valorizar o seu imóvel, não se fique pelo primeiro que encontrar. Sim, faça uma pesquisa na internet, consulte trabalhos realizados anteriormente por estes profissionais e selecione aqueles que mais se aproximam do seu gosto pessoal.

Quando tiver a lista feita, contacte-os, marque uma reunião – preferencialmente com arquitetos da sua região para facilitar encontros e a comunicação -, solicite orçamentos, compare-os e por fim escolha o arquiteto que pensa que representará melhor os seus interesses, tendo em conta as suas necessidades. Outra boa ideia é pedir referências a colegas, pessoas e familiares próximos.

6. Tenha acesso a projetos de design e perfis de arquitetos

O valor que um arquiteto cobra pelos seus serviços é um dos fatores que mais pesa na decisão de quem quer contratar. Mas ter acesso ao portfólio de projetos anteriores e a avaliações de clientes também pode fazer a diferença. Use e abuse de plataformas como a Zaask. Esta plataforma online apresenta-lhe vários profissionais (já avaliados) na área e basta responder a umas perguntas para receber, em poucas horas, propostas que vão ao encontro do que precisa. Isto sem qualquer custo ou compromisso. Para além da Zaask há outras plataformas que poderão ser úteis: Sr. Obras, Pedir Orçamentos ou ainda Mestre d´Obras são alguns exemplos.

7. Faça todas as perguntas que considere necessárias

Se está decidido a contratar um arquiteto para o ajudar com um projeto de construção, remodelação e por aí fora resta-nos dizer que se deve sentir à vontade para lhe colocar todas as suas dúvidas. Sim, pergunte-lhe por prazos, serviços incluídos, periodicidade de reuniões, entre muitas outras questões que considere pertinentes.

Ler Menos