Economia Pessoal

Como escolher um colchão?

20 Fevereiro, 2018

O seu colchão precisa de ser trocado e está indeciso entre um colchão de molas e um colchão de espuma? Então este artigo é para si!


Colchão: uma decisão de saúde

Em média passamos um terço da nossa vida a dormir. E se dormir bem dá anos de saúde, dormir mal ou pouco tira-os. A privação do sono está relacionada com vários problemas de saúde como o Alzheimer, cancro, diabetes ou obesidade, alerta o diretor do Centro de Ciência do Sono Humano da Universidade da Califórnia Matthew Walker. Mas sabe o que pode ajudá-lo a dormir melhor? Pode começar por adquirir um bom colchão. Ou melhor, o colchão certo para si!

Peso, pressão, postura. Os 3 Ps que influenciam a compra de um colchão

Ler Mais

Para que um colchão seja adequado, deve garantir a distribuição uniforme do peso. Regra geral, um corpo mais pesado precisa de um colchão mais duro que ofereça o suporte indicado, ajustando-se naturalmente a cada parte do corpo. Sem esquecer que a coluna deve manter-se numa linha reta. No entanto, é preciso ter em conta que o corpo do homem e da mulher são diferentes: o sexo masculino tem a zona dos ombros mais definidos e no sexo feminino sobressaem o peito e as ancas. O que quer isto dizer? Que são estes os pontos onde sentirá mais pressão se o colchão que escolher não for o certo.

Mas quais são melhores? Os colchões mais macios ou mais duros? Bom, um colchão muito macio pode permitir que o corpo se afunde prejudicando a posição da coluna. Por sua vez, um colchão mais duro pode não ser o mais indicado para si: por exemplo, as pessoas com dores na zona lombar não devem optar por um colchão muito duro – porque não permite a descontração – mas sim um colchão com firmeza média. Uma dica: na hora de escolher um colchão, experimente-o para ver como se sente e leve alguém consigo para perceber se a coluna fica bem posicionada ou se curva exageradamente.

Fonte: DECO

Colchão de espuma, molas, látex ou ortopédicos?

No mercado não faltam colchões por onde escolher: vão desde os colchões de espuma, aos de molas, látex passando pelos ortopédicos. Mas para bem escolher é preciso perceber as suas principais características. Para começar, podemos dizer-lhe que a elasticidade, densidade e firmeza de um colchão de espuma depende da densidade da espuma. Oferece um bom isolamento térmico – sendo mais adequado para o inverno do que para o verão – e é uma boa opção para quem tem alergias!

A ventilação é uma questão importante para quem transpira muito ou vive em regiões de verão quente. E neste caso os colchões de mola batem os colchões de espuma e de látex. Mas têm alguns senãos: corre sempre o risco de as molas se partirem ou perderem elasticidade. Além disso, não se admire se com o passar dos anos e do uso o colchão de molas perca altura.

Em termos de preço, os colchões de látex são geralmente mais caros porque são compostos por um núcleo de borracha natural ou sintética. Além disso, adaptam-se ao corpo, têm uma ventilação que varia entre razoável e boa e o isolamento correto.

Caso tenha algum problema de saúde poderá considerar um colchão ortopédico. A qualidade do seu material – gel ou espuma viscoelástica – permite uma óptima distribuição da pressão e evita que pessoas acamadas façam feridas. Mas atenção: estes colchões têm um preço bastante elevado e em pessoas saudáveis as vantagens poderão não compensar o dinheiro.

Casal com grandes diferenças de peso: qual a solução?

Como já vimos, o peso de uma pessoa é um indicador essencial na hora de escolher um colchão. Mas se um casal tiver grandes diferenças de peso, como pode dar a volta à situação para que ambos fiquem confortáveis? Mais uma vez, pode contar com a orientação da DECO para dar resposta a esta questão: a associação esclarece que neste caso o melhor a fazer é optar por colchões individuais o que evita o desnível e facilita o conforto.

Pesquise e experimente antes de comprar o colchão

Para escolher o colchão certo para si, comece por fazer uma pesquisa online tendo em conta os fatores de que falámos. Esta é a forma mais fácil de comparar preços e conhecer as opções no mercado. No entanto, mesmo que opte por comprar um colchão online, dirija-se sempre até a uma loja física para o experimentar, porque só assim é que tirará a prova dos nove.

Quando devemos substituir um colchão?

A vida útil de um bom colchão termina por volta dos 8 a 10 anos, quando começam os problemas ao nível da firmeza e da altura. Mas há coisas simples que pode fazer para que o seu colchão dure um pouco mais como arejar bem a cama – mesmo durante o inverno – e permitir que a humidade saia. Além disso, não se esqueça de virar regularmente o colchão para não causar deformações permanentes. É importante virar o colchão de cima para baixo e da cabeceira para os pés.

Ler Menos