Economia Pessoal

8 passos para começar um negócio online do zero

20 Outubro, 2017

Desde o momento da criação, ao método de pagamento e a todas as questões legais, saiba, passo a passo, como pode criar um negócio online do zero. 


1º Passo: conhecer o mercado

A sua prioridade ao começar um negócio é faturar. E a melhor forma de o fazer é apostar numa área de negócio promissora: é preciso ter em consideração que normalmente os produtos e serviços com maior saída no mercado são aqueles que de certa forma facilitam o dia-a-dia dos consumidores e preenchem lacunas para as quais ainda não há uma solução. Como tal, visite fóruns, faça um estudo de mercado para ver o que os utilizadores andam a pesquisar e acima de tudo sonde sempre a sua concorrência.

Começar o seu próprio negócio online é uma excelente aposta. O SIBS Market Report 2016 – estudo da gestora da rede Multibanco – revelou que 84% dos portugueses já fizeram compras online e que 40% dos inquiridos compram em lojas online pelo menos uma vez por mês.

2º Passo: criar uma empresa online

Ler Mais

A Empresa Online, do Portal do Cidadão, é o sítio certo não só para criar uma empresa como para registar uma marca, o domínio e obter certidões. Já na secção “Balcão do Empreendedor” pode tratar do licenciamento ou simplesmente informar-se sobre os passos necessários para o exercício de uma atividade económica. A partir daqui tem de decidir se quer alojar o site num servidor físico ou optar pela computação em nuvem – cloud. Um conselho: informe-se sempre dos custos de todos os serviços antes de tomar uma decisão.

3º Passo: garantir o cumprimento de todas as questões legais

É importante adquirir junto da ACEPI, Associação para o Comércio Electrónico e Publicidade Interativa, a certificação para lojas online: desta forma assegurará o cumprimento de todos os requisitos legais. Além disso saiba que existem regras específicas em relação à obrigatoriedade de informação, de prazos de devolução e proteção de dados dos utilizadores que o seu negócio deve cumprir e devem estar presentes nas informações sobre as condições de compra no seu site.

4º Passo: tratar do design do site

Com a ideia de negócio definida e criada a empresa, é altura de começar a dar-lhe forma. E tem duas opções: ou fá-lo você mesmo ou contrata uma pessoa especializada para o fazer por si. Tenha em conta que em qualquer uma das situações é preciso pensar no tipo de negócio, no tipo de conteúdo e criar um design em função disso.

Se optar pelo do it yourself, lembre-se que há várias plataformas que o ajudam a criar sites e lojas online de raiz e que colocam à sua disposição uma infinidade de modelos para personalizar o site à sua medida. O WordPress, o Wix ou o Shopkit são alguns exemplos.

5º Passo: escolher os métodos de pagamento

Se vai apostar numa loja online precisa de conseguir facilitar as transações entre si e os seus potenciais clientes. Para isso deve analisar que métodos de pagamento vai disponibilizar no seu site. Os pagamentos com cartão de crédito (VISA, MasterCard e outros) são os mais comuns e para ativá-los na sua loja online deve informar-se das condições junto das empresas gestoras deste tipo de pagamento online. A Redunicre e a EasyPay são alguns exemplos.

Também poderá optar por oferecer aos seus clientes outras formas de pagamento, como o PayPal ou o MBWay. O PayPal é uma espécie de carteira digital que permite transações seguras através de um endereço de e-mail. Já o MBWay é um método de pagamento recente que permite aos utilizadores pagar com o recurso ao seu número de telemóvel. Em qualquer dos casos, não se esqueça de implementar também um sistema de faturação electrónica.

6º Passo: definir o serviço de entregas

Pode optar por um serviço de entregas ao domicílio entre 24 a 48 horas, pelas entregas em pontos pick-up, isto é, um serviço que permite que a compra seja efetuada online e levantada em centros comerciais perto de casa ou do local de trabalho do cliente, ou fazer a entrega por correio.

Lembre-se que é muito importante corresponder às expetativas dos seus consumidores. Para isso, mantenha o seu stock organizado e atualizado e cumpra os prazos de entrega com que se compromete. Mas não só. É muito importante que se organize para conseguir dar resposta a picos de encomendas e aposte num serviço de Apoio ao Cliente através de telefone, chat ou e-mail caso surjam dúvidas ou queixas.

7º Passo: gerar tráfego

Ter um bom produto não chega: é preciso que os potenciais clientes visitem efetivamente a sua loja online. Para promover o seu negócio online pode – e deve!  – registá-lo em grandes sites de pesquisa como o Google e apostar na publicidade online nos motores de busca e em redes sociais como o Facebook, Twitter e LinkedIn.

Caso tenha um budget limitado comece por métodos gratuitos como ter uma página de Facebook e quando começar a ter lucro pode apostar em anúncios pay-per-click que facilmente fazem um negócio escalar.

8º Passo: desenvolver uma newsletter

Enviar uma newsletter periódica é uma boa forma de divulgar a sua loja online e de atrair os clientes com ofertas, descontos ou promoções. Além disso, pode ajudá-lo a criar uma base de dados de contactos que poderá usar para aumentar as vendas e fidelizar clientes. Pode optar pelo comum “subscreva a nossa newsletter” ou oferecer algum tipo de recompensa ao utilizador em troca do e-mail, como um código promocional.

Além disso, considere investir em campanhas de e-mail Marketing. As agências que prestam este serviço têm à sua diposição bases de dados segmentados por tipo de consumidor que poderão ajudá-lo a chegar a potenciais clientes que ainda não conhecem a sua loja online.

Ler Menos