Cultura e lazer

Gerês: O que visitar?

17 Março, 2017

Prepare-se para conhecer os pontos obrigatórios daquela que é conhecida como uma das sete maravilhas naturais de Portugal. Seja bem-vindo ao Gerês!


Comece pela aldeia de Castro Laboreiro

Ir ao Gerês e não visitar a aldeia de Castro Laboreiro é como ir a Roma e não ver o Papa! A sua história remonta ao século XVI. É aqui que encontra as ruínas do Castelo de Castro Laboreiro construído em 1505. Mas desengane-se se pensa que é só isso que pode encontrar por lá. A Igreja Matriz, o Pelourinho, as pontes medievais, os fornos comunitários, moinhos e espigueiros vão encantá-lo logo à primeira vista.

E embora a sua riqueza histórica e arquitetónica esteja à vista de todos, terá de espreitar o Núcleo Museológico para observar de perto o estilo de vida dos seus habitantes. Este é o sítio certo para conhecer os hábitos, costumes e tradições das gentes da terra. Mas se quer sentir-se mesmo parte da aldeia, nada como ficar alojado numa casa típica castreja que o convida a desfrutar de uma estadia relaxada e em contacto com a natureza.

E como uma paragem por Castro Laboreiro não se faz de estômago vazio, aproveite para se deliciar com os maravilhosos pratos da região. Estamos a falar da carne de cabrito, dos bifes de presunto e da riquíssima broa. Depois de ter recuperado energias, faça um percurso a pé por Rodeiro, Alto da Portela de Pau, Pedra Mourisca, Altos dos Cepos Alvos, Portos, Varziela e aproveite para dar uma vista de olhos no artesanato de cestaria, tamancaria e nas peças de linho.

Perca-se na beleza natural do Soajo

Ler Mais

Quando pensamos numa aldeia com muita história, com ruas pavimentadas com lajes de granito e casas construídas com o mesmo material e situada privilegiadamente numa zona montanhosa de grande beleza, vem-nos logo à cabeça a aldeia do Soajo. E não é para menos. Com vista para o alto do rio Lima, a aldeia oferece-lhe uma vista esplêndida sobre a paisagem em seu redor e fala diretamente ao coração das pessoas que adoram fazer caminhadas em plena natureza.

Mas a principal atração desta que é uma das aldeias mais típicas de Portugal é um conjunto de 24 espigueiros erigidos sobre uma gigantesca laje granítica, onde ainda hoje se seca o milho. Imperdível! E como já estamos a falar de comida, não se esqueça de deitar o dente ao pão-de-ló do Soajo, que é de comer e chorar por mais! Se ainda lhe sobrar tempo, não deixe de nadar nas águas frescas do “Poço Negro”, uma das mais famosas lagoas do rio Adrão, e de apreciar o moinho em ruínas e o pelourinho.

Há cascatas no Gerês

Não se conseguem dissociar as cascatas da paisagem envolvente do Gerês. E por esta razão recomendamos-lhe que demore umas belas horas a visitar a Cascata do Arado. Situada em pleno coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, esta é uma obra da natureza digna de ser vista. Sim, do alto dos seus 900 metros, cria uma sucessão de cascatas únicas que terminam num lago de águas cristalinas nas proximidades da aldeia da Ermida. A igualar a sua beleza tem ainda a Cascata do Tahiti e a Cascata do Rio Homem!

Relaxe nas termas

Há outro motivo que conduz muitos portugueses e estrangeiros até à Vila do Gerês: as termas. Têm origem na época dos romanos e são reconhecidas pelas suas capacidades terapêuticas no que toca a doenças ao nível do aparelho digestivo, do aparelho circulatório, bem como de problemas metabólico-endócrinos. E a verdade é que é difícil dizer “não” a um banho de imersão em Banheira de Pedra ou a uma fantástica hidromassagem.

Miradouros e paisagens divinas

Do alto do Miradouro Pedra Bela, o Gerês parece um paraíso ainda maior. Imagine como será estar a 800 metros de altitude e poder vislumbrar uma paisagem de cortar a respiração composta por uma natureza mágica: as montanhas, a albufeira da Caniçada, os rios que serpenteiam a serra, a convergência feliz entre o Rio Cávado e o rio Caldo, quilómetros e quilómetros de vegetação verde e a estonteante Portela do Homem. E quer saber uma coisa? Os mais antigos dizem que a Pedra Bela, única em imponência, foi ali colocada pela mão divina!

A Ponte do Diabo que separa Trás-Os-Montes do Minho

É assim que é conhecida a Ponte da Misarela! E prometemos que nunca a vai esquecer, porque está situada num lugar mágico: entre penedos e a vegetação abundante encontra-a construída sobre o Rio Rabagão. Resistiu às guerras, às enxurradas do rio, à passagem das pessoas que a visitam só para ter a oportunidade única de a atravessar. É que a construção desta ponte medieval arrasta consigo uma lenda de arrepiar que vale a pena conhecer… E mais não dizemos!

Ler Menos