Radar económico

Quais são os países que recebem mais investimento estrangeiro?

27 Dezembro, 2016

Quais são os países que atraem mais investimento direto estrangeiro?

E Portugal, como está a este nível?


inv_grafico1

É cada vez mais claro para a ciência económica que o investimento é quase um sinónimo de crescimento económico, emprego e confiança.

O fator distintivo do investimento é que os recursos financeiros utilizados não visam a satisfação de necessidades imediatas (consumo), mas sim a melhoria da capacidade produtiva da economia em causa.

Em termos de origem geográfica, os países captam dois tipos de investimento: nacional e estrangeiro.

O conceito de investimento nacional foi desenvolvido em “Quais são os países que mais investem nas suas próprias economias?”.

Neste artigo vamos focar a nossa atenção apenas no investimento estrangeiro, em especial no denominado Investimento Direto Estrangeiro1.

Sendo assim, quais são as economias que atraem mais investimento estrangeiro?  E Portugal, como tem sido o seu desempenho?

O TOP 10 Europeu

Ler Mais

Na Europa as grandes economias ocupam os lugares cimeiros: Reino Unido, Alemanha, Suíça, França, Holanda, Espanha, Bélgica e Itália. A única surpresa vem da Irlanda, a qual consegue intrometer-se entre o TOP 10 europeu fruto de uma política fiscal “amiga” do investimento estrangeiro.

Mundo: um colosso chamado EUA

A capacidade dos EUA em atrair investimento estrangeiro é simplesmente impressionante. Some-se Hong Kong, Reino Unido, China e Alemanha e o resultado final é o equivalente ao investimento estrangeiro efetuado nos EUA até aos dias de hoje. Contra factos não há argumentos.

inv_grafico2

Portugal ainda longe do seu melhor

O período áureo do investimento direto estrangeiro em Portugal ocorreu entre 1995 e 2006, o qual esteve muito relacionado com a integração económica do nosso país na comunidade europeia.

Nessa fase, o aparecimento de várias multinacionais nos mais diversos setores económicos foi talvez o exemplo mais concreto da intensidade com que o investimento estrangeiro fluiu para o nosso país.

No entanto, com a crise financeira mundial em 2007, o fluxo de investimento direto estrangeiro diminuiu drasticamente, tendo começado a recuperar ligeiramente a partir de 2010.

Se tivermos em conta o investimento estrangeiro acumulado que se mantém na economia portuguesa, verifica-se que Portugal é o 17º país na Europa que mais tem atraído investimento estrangeiro.

inv_grafico3

1O que é o Investimento Direto Estrangeiro (IDE)?

Em linguagem corrente, o Investimento Direto Estrangeiro (IDE) consiste num investimento de uma empresa multinacional, residente num dado país, noutro país diferente.

O IDE implica sempre a propriedade de parte do capital social da empresa. Quando o investimento é de raiz (criação de novos equipamentos) a propriedade pode ser total (100%), mas quando se trata de fusões e aquisições a propriedade do capital pode ser parcial.

O FMI e a OCDE consideram um patamar mínimo de 10%. No entanto, cada país, nomeadamente os seus Bancos Centrais, encarregados de elaborar a Balança de Pagamentos, podem considerar um valor diferente.

O IDE acumulado resulta do somatório de todos os IDE realizados anualmente, deduzidos do desinvestimento efetuado pelas empresas estrangeiras (por exemplo, quando uma multinacional sai de Portugal).

Ler Menos