pessoas e histórias

Os jovens que estão a mudar o mundo, uma ideia de cada vez

29 Setembro, 2016

A lista “30 under 30” da Forbes reúne alguns dos mais novos génios do empreendedorismo que estão a dar cartas com as suas ideias nas mais variadas áreas. Dois deles são portugueses.


Cinco minutos para criar um call-center

Foi esta a ideia que levou Cristina Fonseca, de 28 anos, e Tiago Paiva, com 29, a fundar a Talkdesk em 2011. A startup, voltada para as pequenas e médias empresas, compromete-se a criar um call-center em apenas cinco minutos, através de um serviço em nuvem que permite integrar várias plataformas de negócio, sem ser necessário adquirir equipamento de hardware ou instalar um sofware específico. Facilitar a vida das PMEs já lhes rendeu mais de 22 milhões de euros e a distinção na reputada lista “30 under 30” de Tecnologia da revista Forbes.

Porquê cinco minutos? Este é o tempo que leva às empresas criarem uma conta de serviço, registarem os agentes ou operadores que atendem os telefones, comprarem o número de contacto e ficarem aptas para receber as chamadas dos clientes. A partir daqui, a Talkdesk consegue dar às empresas informação sobre o histórico de interações ou sobre o perfil do consumidores, ao cruzar sistemas de integração com sistemas de e-mail, CRM, helpdesk, e-Commerce e plataformas online.

E para 2016, quais são os planos? Com clientes tão sonantes no mercado como a Box, a Chevrolet, a Sidecar, a Uniplaces, a Doordash e a Dropbox estes dois portugueses querem continuar a investir no seu produto. Ao jornal Observador contaram em entrevista que planeiam adicionar uma opção de vídeo e sms ao seu serviço e alargar fronteiras. Atualmente podemos encontrá-los em Lisboa ou nos Estados Unidos, em Silicon Valley, mas muito em breve contam expandir-se ao resto da Europa.

Adolescentes “tekkies” com milhões no bolso

30 under 30Com apenas 21 anos, Chirstian Owens é o mais jovem dos “30 under 30” de 2016 na categoria de tecnologia, mas nem por isso é novo nestas andanças do empreendedorismo. Acredite-se ou não, tinha apenas 14 anos quando criou uma empresa chamada Mac Bundle Box: tratava-se de um pacote de aplicações MAC a preço reduzido que fez com que este chegasse aos 16 anos com um milhão de dólares no bolso. Foi nesta mesma altura que decidiu também desistir dos estudos e embarcar em mais uma nova aventura, a Branchr – uma empresa de publicidade pay-per-click com uma distribuição mensal de 300 milhões de anúncios. No entanto, foi a fundação da Paddle que o catapultou para a lista da Forbes. Falamos de um software para developers de aplicações que disponibiliza processos de pagamento, analíticas, feedback in-app e ferramentas de marketing.

Ler Mais

A história de Jack Cator, de 26 anos, não fica atrás da de Christian. Aos 16 anos, este adolescente britânico vivia frustrado porque a escola secundária que frequentava não permitia que os estudantes jogassem jogos ou vissem vídeos online. Foi a motivação que precisava para desenvolver a sua própria rede virtual privada (VPN)! A criação da Privax permitiu a Cator bem mais do que contornar as regras nos corredores da escola: a gigante de cibersegurança AVG interessou-se tanto pela sua VPN que a adquiriu este ano por 40 milhões de dólares. Aquilo que começou como uma irreverência adolescente acabou por valer-lhe uma conta bancária bem recheada e, claro, um lugar na lista da Forbes.

Nem só de tecnologia se faz a lista “30 Under 30”

Todos os anos, a conceituada revista Forbes distingue um total de 600 jovens com menos de trinta anos que de alguma forma se destacam nas suas áreas profissionais. Nestas listas não faltam, como vimos, os grandes empreendedores da tecnologia, mas há quem esteja a dar cartas aos seus vinte e poucos anos também noutros campos, das Artes às Finanças, passando pelo consumo, media, indústria, ciência ou desporto.

Da “turma de 2016” fazem parte, por exemplo, Daire Hickey, co-fundador do Web summit, um dos mais bem-sucedidos projetos de organização de conferências um pouco por todo o mundo. Só no ano passado, o Web Summit fez mais de dois milhões em parcerias de media e cabe a este americano de 28 anos a gestão de alguns dos parceiros mais influentes, como o Google ou o Facebook.

Na área das Finanças encontramos, entre outras 29 mentes brilhantes, o co-fundador da Chain.com, uma startup que está a revolucionar a utilização da moeda virtual Bitcoin em Wall Street. Aos 29 anos, Ryan Smith é CTO de uma empresa que em dois anos captou 44 milhões de dólares de investidores como a Visa, Citi ou Capital One e que hoje está avaliada em 150 milhões.

E que dizer de Nick Carson, um dos “30 under 30” distinguidos na área de Manufacturing? O jovem de 28 anos conseguiu não só rentabilizar uma ideia como fazer da Pakible, empresa que ajuda os fabricantes a customizar embalagens online, um verdadeiro case study. Um milhão de unidades vendidas nos primeiros três meses de atividade e um crescimento de 150% à semana são números que impressionam qualquer um.

Mas nem só de empresas de sucesso e valores de faturação se faz a lista da Forbes. A revista distingue também personalidades jovens que se destacaram não pelos milhões em vendas, mas pela excelente performance na sua área de especialidade. Entre eles encontramos, por exemplo, a atriz-sensação Brie Larson, que este ano surpreendeu ao ganhar o Oscar de melhor atriz principal pela sua interpretação em Quarto.

Ler Menos