Radar económico

Quais são as economias mais competitivas?

2 Agosto, 2016

Economias sólidas apresentam níveis elevados de competitividade.

Quais são os 10 países mais competitivos? E Portugal?


Os 10 Países mais competitivos

tabela_competitividadeFonte: World Economic Forum

Quando falamos de Competitividade de um país, o foco principal não é o que uma economia produz atualmente, mas acima de tudo qual é a sua capacidade de produzir e satisfazer as necessidades da sua população ao longo do tempo e de forma sustentada.

Um dos barómetros mais conceituados da competitividade dos países é o Índice Global de Competitividade (GCI) do Fórum Económico Mundial (WEF).

De acordo com esta organização, a competitividade de um país, ou seja, a sua capacidade de gerar riqueza ao longo do tempo de forma sustentada, é explicada por 12 fatores essenciais: Instituições, Infraestruturas, Estabilidade macroeconomia, Saúde e ensino básico, Ensino pós-básico e formação, Eficiência do mercado de bens, Eficiência do mercado de trabalho, Sofisticação do mercado financeiro, Readiness tecnológica, Dimensão do mercado, Sofisticação empresarial e Inovação.

O GCI é o indicador que sintetiza num número a competitividade dum país, permitindo fazer comparações entre os cerca de 140 países que entram todos os anos nesta análise.

Top 10 da Competitividade

10. REINO UNIDO

UKCom uma economia baseada em serviços sofisticados, num sector financeiro declaradamente forte, em excelentes universidades e uma elevada capacidade de atrair talento estrangeiro, não é surpresa que o Reino Unido esteja entre as economias mais competitivas do mundo. Em termos macroeconómicos é que há maior margem de melhoria, sendo de realçar um endividamento público excessivo.

Ler Mais


9. SUÉCIA

Sweden flag map, three dimensional render, isolated on white

A Suécia tem perdido alguns lugares neste índice económico. Apesar de muito estável no geral das áreas analisadas e com um bom clima de inovação, atrasa-se um pouco em termos das restrições colocadas pela rigidez do mercado laboral e pela elevada carga fiscal. Continua, no entanto, no topo da tabela.


8. FINLÂNDIA

Finland flag map, three dimensional render, isolated on white

A Finlândia é um país que, apesar do seu défice orçamental e dívida pública, continua a ter instituições muito transparentes e justas, e infrastruturas de grande qualidade. No entanto, é também na sua capacidade de inovação que o país encontra a sua maior força, em particular na ligação entre as empresas e as universidades. Ainda assim, pelo enfraquecimento de alguns dos  seus sectores económicos principais (tecnologias de informação e papel), a Finlândia tem vindo a descer no ranking.


7. HONG KONG

Map of Hongkong and national flag

Desde 2012 no top 10, Hong Kong tem conseguido manter-se extremamente competitivo, em que a eficiência e a estabilidade do sistema financeiro têm sido fundamentais. Os mercados laborais e de bens e serviços apresentam também níveis de eficiência muito elevados. Apesar  de ter um elevado grau de readiness tecnológica, a inovação surge como o aspeto mais fraco da performance competitiva deste país.


6. JAPÃO

japaoSubiu recentemente no top 10, com pequenas melhorias na maioria dos pilares. O Japão tem uma economia muito sofisticada. Com uma mão-de-obra talentosa e investimento contínuo em investigação, o país continua a vencer pela inovação, com um número galopante de patentes a serem registadas todos os anos. A melhorar no futuro aparece como mais relevante o mercado de trabalho e a necessidade de aumentar a sua flexibilidade.


5. HOLANDA

Map of Netherlands for your design, concept Illustration.

Com um sistema educativo e formativo de grande qualidade e uma boa adaptação e inovação tecnológica, esta economia ágil é no entanto travada por práticas pouco flexíveis do mercado laboral.


4. ALEMANHA

alemanhaAlemanha sobe uma posição relativamente ao ranking de 2014, essencialmente por conta da eficiência dos seus mercados de trabalho e financeiros e por causa dum ambiente macroeconómico sólido (saldo orçamental positivo e redução da dívida pública, que é de 73% do PIB). As empresas alemãs são muito sofisticadas, empregando as mais recentes tecnologias no processo de produção. O sistema de inovação do país caracteriza-se por um elevado investimento em atividades de investigação, complementado por uma forte colaboração empresarial com as universidades e instituições de investigação científica. Tudo isto é apoiado por uma formação on job eficaz que garante que as competências desenvolvidas correspondem às necessidades dos negócios. A área em que a Alemanha poderia ser mais competitiva está relacionada com alguma falta de flexibilidade no mercado de trabalho.


3. ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

euaSubiu recentemente no ranking com melhorias em várias áreas, incluindo o funcionamento das instituições. A sua maior força é a combinação que consegue criar entre capacidade inovadora, dimensão dos mercados e sofisticação dos negócios, juntamente com um mercado laboral muito flexível. Algumas fraquezas ao nível do funcionamento da estrutura governamental e de despesa pública, impedem que esta economia suba mais no ranking.


2. SINGAPURA

Singapore map with shadow effect presentationEm segundo lugar está já há cinco anos, o tigre asiático de Singapura. Esta pequena economia mantém de forma estável uma performance invejável, classificando-se sistematicamente nos três primeiros lugares, pelo menos em sete dos pilares de referência. Tem mercados extremamente eficientes e uma infraestrutura de grande qualidade, com excelentes estradas, portos e aeroportos. Está em primeiro lugar ao nível do ensino superior e da formação. Para além disso, mantém uma disciplina macroeconómica que permite manter esta cidade-estado no topo.


1. SUÍÇA

Schweiz

A Suíça está em primeiro lugar já há sete anos consecutivos. Graças às suas universidades, ao seu investimento em inovação e à estreita cooperação entre as instituições de ensino e as empresas, para além de uma classificação excelente na grande maioria dos outros pilares, a Suíça é a economia mais competitiva do mundo, preparada para se manter assim durante vários anos.


E Portugal? Qual é a sua classificação?

PTNeste ranking, Portugal surge em 36º lugar. Deixaremos para outro momento uma análise mais detalhada desta classificação, mas vale a pena mencionar alguns fatores. Portugal faz parte do escalão mais alto da competitividade mundial, sendo incluído nas economias que se centram na inovação. As infraestruturas portuguesas são de grande qualidade, no que se inclui uma rede de estradas que é a segunda melhor do mundo. A Educação Primária e a Saúde também têm evoluído bastante ao longo dos anos, sendo hoje de grande qualidade. Como fatores mais problemáticos temos a ineficiência burocrática das entidades governativas, os altos impostos e o acesso ao financiamento, para além da instabilidade de políticas governativas e regras laborais restritivas. Ainda assim, Portugal é um lugar seguro, com boa capacidade de absorver avanços tecnológicos e boas condições para continuar a competir no mercado global.


O Economia à Sua Medida é uma iniciativa do Banco Finantia. Saiba mais.

Ler Menos